Acompanhe:
TAG

TAG Literária: Halloween

Esses dias eu estava organizando a minha listinha de posts para fazer e fuçando os blogs dazamiga pra procurar TAGs que eu havia sido indicada para responder e, logicamente, não respondi por causa tanto da fase de manutenção do blog quanto pela loucura que está esse final de semestre.

Inclusive, eu queria me desculpar com vocês. 💔 Eu sei melhor que ninguém que a frequência de postagens por aqui não é mais a mesma, mas vocês bem sabem como as coisas ficam em períodos de prova e apresentações de trabalho. Ultimamente, tudo o que eu tenho feito é estudar, não estudar e me condenar porque deveria estar estudando, calcular quantas faltas em cada aula eu ainda posso ter e gritar EU NÃO AGUENTO MAIS quando eu sei que ninguém está olhando.

Eu adoraria prometer ano que vem, o último da faculdade, será melhor, mas a gente sabe que não é verdade, porque eu vou ter TCC e OAB pra me preocupar (malditas siglas). Com sorte, o ano seguinte será melhor, e eu finalmente vou poder me dedicar muito mais ao blog – que honestamente é tudo o que eu quero fazer com a minha vida.

De qualquer forma, a parte boa é que eu tenho uma lista IMENSA de posts bacanas pra fazer por aqui – e eu estou reunindo coragem para voltar com o Desafio 52 Semanas no fim de semana que vem, porque eu me recuso ter chegado tão longe pra morrer na praia.

A TAG de hoje fazia parte da Blogagem Coletiva de outubro do Blogueiros Geeks e, embora o título dê a entender que ela deveria ter sido respondida até o dia 31 de outubro, quem me conhece sabe que comigo o Halloween é todo dia, então vamos lá!

Fantasma: Aquele livro que explodiu no lançamento, mas hoje ninguém mais ouve falar

picmonkey-collage

Reprodução

As coleções de Crepúsculo 50 Tons de Cinza, com certeza. O auê que esses livros causaram foi ridículo de tão grande. Do dia pra noite eles estavam por toda a parte e, se você me perguntar, as pessoas simplesmente ignoravam o quão ruins as histórias eram. Hoje em dia parece que todo mundo caiu em si e percebeu que tem muito livro melhor por aí.

Frankenstein: Um personagem que todo mundo acha que é um monstro, mas você sabe que no fundo ele é só incompreendido;

Reprodução

Reprodução

Peter. E o Capitão. E Ulfger. E todo mundo desse diabo desse livro desgraçado que só trouxe sofrimento pra minha cabeça e um buraco pro meu estômago. Ele tá na pilha de livros lidos a serem resenhados por aqui, mas já vou adiantar que esse foi o livro que mais mexeu com o meu emocional ultimamente.

Morcego: Um livro que você passou a madrugada lendo

Reprodução

Reprodução

O Euclides me emprestou essa HQ bem no comecinho do namoro, quando a gente ainda estudava de manhã. Naquele dia, antes de dormir, eu resolvi abrir só pra conferir a arte. E aí resolvi ler só o comecinho pra ter um gosto da história. Terminei o livro, me troquei e fui pra faculdade com cara de choro.

Zumbi: Uma leitura que você achou difícil e teve que forçar o cérebro para conseguir entrar na história

Reprodução

Reprodução

Não achei a leitura difícil, mas também não consegui entrar de cabeça na história. Na verdade, o que esse livro me rendeu foi uma dor de cabeça terrível, literalmente. Ele também vai aparecer aqui no blog em breve, e mesmo com a leitura avançando rápido eu continuava sem muito interesse e com um bode gigantesco de absolutamente todos os personagens. A sensação que eu tive durante a leitura inteira foi “podemos andar logo com isso, por favor?”.

Bruxa: Um personagem difícil de se relacionar

Reprodução

Reprodução

Difícil… Eu poderia citar, mais uma vez, TODO O ELENCO de A Garota no Trem, mas para não ficarmos repetitivos, eu fico com Inverno, de Os Sete, outro livro da listinha lá de cima. Ele é tão babaca e tão estiloso ao mesmo tempo que vira um desafio até pra quem adora um vilão. Minha relação com ele durante todo o livro foi gostar igualmente de quando ele batia em alguém e de quando comiam ele de pancada.

Múmia: Um livro que você enrolou para ler

Reprodução

Reprodução

Ou então TODAS AS CONTINUAÇÕES DE COLEÇÕES QUE EU COMECEI. Não sei o que acontece comigo, mas eu devo ter 300 coleções não terminadas nas minhas costas.

Esqueleto: Aquele lançamento que você cansou de esperar

Reprodução

Reprodução

Já faz 84 anos…

Abóbora: um livro que você achou que ia ser maravilhoso, mas virou abóbora no meio do caminho

Reprodução

Desculpa, não deu pra escapar de repetir esse aqui. A hype era TÃO GRANDE em cima desse livro que, quando eu comprei, acreditava que ele tinha potencial de mudar minha vida, e no fim…. bleargh.

Não vou deixar ninguém indicado pra responder, mas não é porque o Halloween já passou que você não pode responder no seu blog! Deixa seu link aqui nos comentários pra eu conferir suas respostas também. ❤️ E se você por acaso já me marcou em uma TAG que eu ainda não respondi, pode vir aqui puxar minha orelha também, que eu prometo que respondo!

Beijinhos e até o próximo post!

Compartilhe:
Comente:
Post Anterior Próximo Post

Você também pode gostar de:

12 Comentários

  • Responder Clayci

    Olha só quem respondeu a TAG!!!

    Ai Cela, eu queria ler A Garota no trem e até me animei para ver o filme, mas encontrei tantas críticas e acabei me desanimando =/

    8 de novembro de 2016 às 18:09
    • Responder Marcela Fabreti

      Antes tarde do que nunca, né não? hahahahah
      Espera só a resenha desse livro por aqui, que vai te desanimar ainda mais! Ainda não vi o filme e nem vi ninguém falando sobre, mas acho até possível que ele seja melhor que o livro, porque olha…

      13 de novembro de 2016 às 13:42
  • Responder Andréia Campos

    Eu tinha muita vontade de ler A Garota no Trem até ver sua decepção lá no grupo… acabei desistindo, mas fui ver o filme.
    Como filme eu até que gostei, sabe? É confuso. Vc quer dar uns tapas na galera. Ngm presta. Mas ao mesmo tempo eu penso, e quantas pessoas não são assim na real?
    Também me senti aflita em várias partes do filme, o que me fez entender que de algum modo ele é bom… pois deve ter sido a mesma sensação da personagem durante toda a história, não é? Então tá.
    Mas entendo BEM como ele deve ter sido parado enquanto livro.

    E o Habibi… o que dizer, não é mesmo?
    Quando a gente quer ganhar o respeito de alguém é exatamente este livro que a gente empresta. Eu fiz isso com vários amigos meus e fiz isso com o boy. Menino Euclides fez direitinho! 😀

    Beijo unicórnia das trevas!
    Andréia Campos
    http://petitandy.com

    10 de novembro de 2016 às 00:48
    • Responder Marcela Fabreti

      Eu tenho até curiosidade de ver o filme, justamente pra ver se eles conseguiram melhorar qualquer coisa na história. Isso de você querer bater em todos os personagens porque são todos horríveis é REAL e, de certa forma, é até interessante, porque é algo bem diferente de se fazer (geralmente a gente quer que os personagens sejam simpáticos, né?). Mas vira um problema quando nem a protagonista é gostável e eu só quero que todo mundo morra, hehehe.

      E nossa cara, Habibi…
      Faz dois anos que eu li, e até hoje eu de vez em quando tiro da estante só pra abraçar e contemplar a vida, porque que livro bom.

      13 de novembro de 2016 às 13:48
  • Responder Juliana

    Fico cada vez mais desanimada para ler “A Garota no Trem”. Tô super curiosa com a história, mas já vi tantas opiniões negativas, que acho que vou ficar só com o filme mesmo.
    Eu tentei ler “50 tons de cinza” porque precisava saber o que ele tinha de tão maravilhoso, mas não é uma leitura pra mim, não gostei nada da escrita e acabei desistindo.
    Até hoje eu não tive coragem de começar a série “As Crônicas de Gelo e Fogo” justamente por essa demora toda entre um livro e outro. Como eles são muito grandes e minha memória não é das melhores, acho que vou esquecer muita coisa entre os lançamentos. Então acho que só vou ler depois de estar completa.
    Eu respondi a TAG de Halloween em vídeo, mas só divulguei timidamente lá no grupo porque tô começando agora com os vídeos e ainda tenho uma certa vergonha hahaha

    12 de novembro de 2016 às 09:56
    • Responder Marcela Fabreti

      YAY VOCÊ COMEÇOU COM VÍDEOS!! 😀
      Eu tô doida pra começar também, mas vou ser obrigada a esperar o fim da faculdade, senão vou postar um vídeo por ano e não vai ser legal, hahaha.
      Cara, eu também fiquei super curiosa com 50 tons, e baixei pra ler pelo PC. Achei a escrita tão mediana que li 100 páginas de uma tacada só, sem nem sentir, não porque era bom, mas porque eu não precisava raciocinar a história. E aí morri de preguiça e nunca mais voltei a ler.
      Eu anos atrás tava muito na pira de Crônicas, mas essa demora realmente fez todo mundo quebrar a cara, principalmente com a série saindo na frente com consultoria do autor e tal, mas eu li até agora, me recuso a largar a coleção no meio, hahaha.

      13 de novembro de 2016 às 13:59
  • Responder Cíntia de Melo

    Olha o Vianco aí!
    Quando fiz a tag, também pensei em crepusculo e hoje tenho até vergonha alheia do livro hahaaha

    13 de novembro de 2016 às 20:25
    • Responder Marcela Fabreti

      Eu ainda sou obrigada a admitir que eu li os dois primeiros livros (o primeiro eu inclusive cheguei a comprar!) e vi o filme, tudo pra entender o diabo daquela hype.

      14 de novembro de 2016 às 22:05
  • Responder Vân

    Eu não escondo pra ninguém que eu já li Crepúsculo e tals quando era bem novinha, na época eu até gostava, mas hoje eu detesto a história toda e acho maior baboseira, a vida é feita de evolução né? haha Acho que a saga desapareceu da mídia bem por isso, as pessoas vão crescendo evoluindo e muita gente deixa de gostar. 50 Tons de Cinza eu nem beirei pq já sei que não é meu estilo.
    Tô doida pra começar ler Os Sete do Vianco!

    15 de novembro de 2016 às 10:45
    • Responder Marcela Fabreti

      A vida é feita de evolução, com certeza! Eu comprei o primeiro livro, e li o segundo pra entender a hype, mas juro que quase morri de tédio – embora o primeiro filme tenha me deixado um pouquinho empolgada na sala de cinema. Depois de Lua Nova que eu decidi de uma vez por todas que aquilo ali não era pra mim. Com 50 Tons foi a mesma coisa, li pra entender o hype, mas esse eu achei tão ruim, mas tão ruim, que não consegui nem terminar o primeiro livro, e olha que eu sou teimosa com leitura.
      Tô devendo a resenha de Os Sete por aqui, mas já te adianto que é bem legal!

      15 de novembro de 2016 às 15:53
  • Responder Nicolle Por Deus

    Tô surpresa. Não busquei por resenhas e tudo o que sei da história é aquilo que encontrei no trailer (que também assisti forçadamente pelo youtube, naqueles anúncios antes do vídeo começar), mas acreditava, de verdade, que A Garota do Trem fosse um trabalho bem maneiro. E ai, gente, que vontade de reler Os Sete e ler Sétimo )):

    21 de dezembro de 2016 às 03:03
    • Responder Marcela Fabreti

      Repara que eu até hoje não soltei a resenha desse livro, de tanto desgosto (mentira, tô só atrasada nas resenhas mesmo, mas o desgosto é REAL). E eu tô com muita vontade de ler Sétimo!!! Adorei o primeiro livro, já quero ler mais coisa do Vianco assim que possível.

      23 de dezembro de 2016 às 18:23

    Deixe uma Resposta