Acompanhe:
52 semanas

[52 Semanas] Semana 36: Morro de preguiça de…

Reprodução

Reprodução

Rolê de gente politizada
Eu quero dizer, considerando o meu curso, é meio que esperado que todo mundo na roda debata um pouquinho de política, um pouquinho de Direito, essas coisas da vida… Mas em todo grupo sempre tem duas pessoas com opiniões 100% diferentes que, quando começam a discutir sobre, simplesmente não param mais e a gente se pergunta o limite entre uma discussão amigável e uma briga feia. De qualquer forma, saídas amigáveis que acabam se resumindo a debates de qualquer gênero me matam de sono e esquentam minha cerveja.

Balada
Eu curto música de balada, inclusive em algumas ocasiões (ok que raras) me mato de dançar mesmo dentro de casa. Mas tem alguma coisa no ambiente de uma balada e no nível alcoólico dos DJs que deixa tudo insuportável. Desde o remix interminável e o refrão que nunca vem até aquele que inventa de tocar os “sucessos” dos anos 2000, e só quem consegue dançar e fazer de conta que está se divertindo é gente que já chegou ali pra lá de Bagdá.

Gente que se esforça pra parecer famosa
“Vivem me perguntando”, “vocês pediram e eu…”, “eu e o meu assessor estamos…” e, o mais recente “mas eu realmente influencio o modo de pensar das pessoas porque…”. Ah gente, só parem, que preguiça. Ok, todo mundo aqui quer um lugar ao sol e uma caixa postal cheia, mas primeiro consiga a fama para depois se comportar como famoso (e, de preferência, escolha ser um famoso menos escroto), ok? Eu sei que pensamento positivo é tudo, mas calma lá…

Gente histérica
Com esse povo, qualquer hora é hora… De ter um surto psicótico, arrancar os cabelos, etc e tal. No começo todo mundo morre de preocupação, mas quando a gente descobre que esse é o modus operandi da pessoa, não bate nem peso na consciência de deixá-la chorando sozinha e quebrando as coisas por aí…. True Story.

Aí fica a indecisão entre a vontade de morrer e a vontade de matar essa gente toda… É difícil.

Compartilhe:
Comente:
Post Anterior Próximo Post

4 Comentários

  • Responder Mariana Peixoto

    Também não tenho muita paciência para discussão política, eu tenho a sensação de independente do que seja discutido nada vai mudar – porque só conversar não basta – e sempre tem confusão, então prefiro ficar na minha a menos que seja algum tipo de votação para ideias de um projeto ou algo que inclua atitude.
    Mesma coisa para balada, adoro dançar e uma festinha de amigos, mas balada em boate acho super meeeh, não curto ficar lá no meio de estranhos, com macho escroto lhe assediando e tudo mais.
    O gente que se esforça para ser famosa eu acho meio relativo, eu já vi muitas pessoas fazendo a mesma pergunta numa mesma situação o que seria perfeito para alguém dizer "vivem me perguntando" e no caso dos "vocês pediram", duas pessoas já é plural e já se torna "vocês", então é meio que culpa do português? Mas gente que mal começou em algo e já está investindo com tudo, contrata assessor e se acha influente realmente me da preguiça. Nada contra querer ser famoso, acho que tem algo bem humano nisso porque se não nem tanta gente iria querer, mas eu não acho fácil, então quando eu vejo alguém se esforçando tanto para parecer famoso eu sinto preguiça de todo o caminho que a pessoa terá que percorrer… Mas ei, vai que ela é iludida e se sente feliz acreditando que realmente já está famosa? Então isso seria algo positivo não é mesmo?
    Quando a histeria, a psicologia explica. Eu acho que as pessoas são muito adversas à doença mental, mas em mundo como o de hoje, é estranho que alguém consiga ser normal. Então apesar de eu ser do tipo que não gosta de escândalos e dramas, eu tento entender o psicológico daquela pessoa, porque as vezes não é frescura, as vezes é uma síndrome de pânico, um distúrbio de ansiedade, um problema na criação, sei lá…
    Beijos e até mais :*
    http://thesecretshoot.site90.com/

    1 de agosto de 2016 às 22:22
  • Responder Marcela Fabreti de Oliveira

    SIM, NÉ? Me dá um desespero essa sensação de que a galera tá engajada numa puta discussão que não vai ter fim e nem ir pra lugar nenhum! Eu acho esse tipo de coisa um tremendo desperdício de voz. Eu, que gosto de pensar em mim como uma pessoa bem prática, realmente não suporto gente que chega a discutir de verdade por um negócio que todo mundo sabe que não vai dar em nada.
    Sobre as pessoas famosas, você tá mega certa, eu acho que todo mundo por aqui quer ter algum reconhecimento. Mas eu acho super errado você meio que tentar agir como uma diva quando na verdade é só um mero mortal tão anônimo quanto o próximo. Sabe essas pessoas que tratam os amigos como fãs, ou vivem enaltecendo a si mesmos nas redes sociais? Pelo menos a gente sabe que de baixa autoestima a pessoa não sofre! hahaha
    Agora o último tópico foi sobre uma pessoa muito específica que eu conheço, e pra gente que nem ela. É o caso oposto ao dali de cima, aqui é coisa de uma SUPER insegurança e baixa autoestima, e a sensação que rola é que a pessoa realmente faz isso pra chamar a atenção.
    Mas hey, curti muito o seu comentário! É muito bom quando a galera engaja no assunto do post, muito obrigada por isso! <3

    2 de agosto de 2016 às 02:13
  • Responder Petit Andy.

    HAHAHAHHAHAHA
    Cela, você percebeu que 90% da população se enquadra nisso? Torcendo pra vc não surtar um dia, ou o mundo corre perigo. kkkk

    De todos estes, quem mais me irrita é gente histérica e dramática. Vontade de bater com um pau até ela ter motivo pra dar show.
    Pior ainda quando dão moral pra pessoa… aí que ela não para nunca. ODEIO.
    Agora… os outros eu fico tipo "aff" viro as costas e saio. Não sou obrigada.

    Hehe, vou adorar te acompanhar no BEDA!

    Beijão Cela!
    Andréia Campos
    http://petitandy.com

    3 de agosto de 2016 às 00:26
  • Responder Marcela Fabreti de Oliveira

    É POR ISSO que a gente se apega nos 10%, né kirida? HAHAHA E pode deixar que quando eu explodir o máximo que eu vou fazer é postar um vídeo bem rage no Youtube, MOAHAHAHA. Olha só como sou má e cruel. *insira o emoji de capetinha aqui*

    3 de agosto de 2016 às 01:46
  • Deixe uma Resposta