Acompanhe:
Filmes

5 filmes que eu vi (para você não precisar ver!)

É lógico que a gente adora quando aquela ansiedade pra ver um filme é bem recompensada e resulta numa resenha elogiosa. Encher o peito pra colocar aquele selinho de indicação em qualquer coisa é super prazeroso, MAAAAAAS nem tudo são flores e hoje eu vim fazer exatamente o contrário, e dividir com vocês os meus maiores traumas cinematográficos, pra já destruir os sonhos de qualquer um que, como eu, estivesse muito afim de ver algum desses filmes. Acreditem quando eu digo: doeu mais em mim do que em vocês.

1 – Goodnight, mommy

Reprodução

Reprodução

“Nooossa, o melhor filme de terror dos últimos tempos! Roteiro suuuper original, todos os festivais cult estão dando nota 10, não sei o quê, não sei o que lá”, MEU ÚTERO. Eu literalmente atualizava tudo quanto era site diariamente na esperança de conseguir assistir esse filme assim que caísse na rede, porque poxa! O trailer era sensacional! Mas não, nada que acontece no trailer acontece “de verdade” no filme. O filme tem umas cenas tão parecidas (vide idênticas) com outros filmes de terror verdadeiramente bons que fica até chato mencionar, e tudo de “original” deles já foi usado antes e melhor, tipo, 572 vezes. Inclusive eu cantei o fim do filme com 10 minutos de história, num daqueles “ah, a primeira impressão é essa, mas eu provavelmente estou errada, porque se for isso mesmo o filme ia ser um lixo”. Pois é. Fui trouxa sabendo que estava sendo trouxa. Frustradíssima até 2016.

2 – Caça às Bruxas

Reprodução

Reprodução

Tá legal que hoje em dia tudo o que envolve o Nicolas Cage vira piada na internet (e até o que não envolve eles dão um jeito de envolver), mas a gente precisa combinar que, apesar de um número bastante grandes de “sessões da tarde” no currículo, o cara não é de todo mau ator. O problema nesse filme nem é ele! É só todo o resto. O filme começa numa boa como um suspense clássico medieval-caçador-de-bruxas, e pra mim era até bastante promissor, mas lá pro final é uma bagunça tão grande e tão absurda que a gente fica sem saber quem culpar. Na dúvida, culpem o morcego-monstro-demônio que surgiu sei lá de onde lá pro fim do filme.

3 – Drácula de Bram Stoker

Reprodução

Reprodução

Polêmico? MUITO, principalmente porque tem gente que idolatra esse filme, mas nossa! Taí um dos poucos filmes (talvez o único!) que eu peguei rancor pessoal! Tanto que eu nem sei como classificar o filme. Não é terror, não é romance… Um drama-fantasia, talvez? Sei lá. Assim: eu assisti ao filme assim que terminei o livro. Literalmente, fechei o livro e dei play no filme que tava lá reservado pra aquele momento! Diretor renomado, elenco M-A-R-A e… Van Hellsing alívio cômico? Elisabeta-quem? Drácula-lobisomem-homem morcego? Mina sumonando tempestates? Keanu Reeves com talco na cabeça? AH, NÃO!
(Olhando pelo lado bom, o Gary Oldman tá um gatinho nesse estilo nobre-vitoriano).

4 – Amaldiçoados

Reprodução

Reprodução

Esse, apesar do nome, também não é terror. Tá mais pra uma fantasia nonsense absurdamente mal escrita. Topei por aí com muita gente que gostou, uma pessoa até me disse que achou o filme “romântico e emocionante”, e eu até hoje me pergunto se assistimos a mesma coisa. Os 5 minutos de romance que o filme tem são, sim, super fofos, e o começo da história é até que bem legalzinho, mas em questão de desenvolvimento, venceu de lavada o morcego-monstro do Nicholas Cage. Ei, Joe Hill, estamos de olho, ok? Pedi altos conselhos num grupo do Facebook sobre o livro, inclusive aceitei o desafio de lê-lo algum dia (ô, sofrência!), mas já estou psicologicamente preparada (vide: traumatizada) para esperar uns absurdos parecidos. Olhando pelo lado bom, tem o Daniel Radcliffe, que tá esquisitinho mas a gente ainda ama.

5 – O Lado Bom da Vida

Reprodução

Reprodução

Não é novidade pra ninguém que leitor compulsivo é tudo um bando de chato, reclamão e perfeccionista, certo? Pois bem, que a minha birra com esse filme é parecida com a de Drácula (só que numa escala bem menor). Assim, o filme é fofinho, dá pra ver numa boa numa Sessão da Tarde quando você na verdade deveria estar estudando ou cumprindo os afazeres domésticos que você jurou de pé junto pra sua mãe que estariam prontos quando ela voltasse do trabalho (culpada, culpadíssima, uns bons 5 anos de culpa nessa acusação e absolutamente nenhum arrependimento). Mas também não passa disso. E eu achei que a proposta original tinha sido tão terrivelmente distorcida (dramática) que peguei birra feio. Não troco uma história emocionante de superação psicológica/psiquiátrica de altos traumas por um romancinho água com açúcar com aquela coreografia bizarra.

Aquele conselho mais manjado de todos? Leiam o livro porque o livro é amor. No mínimo vejam o filme antes de ler o livro, porque aí ninguém vai morrer amargo que nem eu, hehehe.

Eu tentei abordar gêneros diferentes de filmes nessa lista (o que acaba sendo complicado quando você sai por aí à caça de filmes de terror e quase nunca vê uma comédia), também pensei seriamente em colocar alguns títulos e acabei desistindo porque, apesar de não ter gostado, eu consigo ver o porquê de serem filmes bons/bonitos/importantes, então eu realmente não recomendaria que vocês não vissem. E LÓGICO que ninguém aqui é obrigado a concordar, eu mesma já vi resenhas super positivas de todos esses filmes (melhores até que os filmes em si – opa).

De qualquer forma, eu espero que vocês tenham gostado, se identificado ou pelo menos aceitado o conselho de passar longe dessas pérolas cinematográficas que eu citei. Lógico que ninguém vai te julgar se você fechar esse post agora e for assistir algum deles, só não vale chorar no meu colo depois. E se, inclusive, você ficar afim de dividir comigo as vezes em que você tomou uma pelo time e viu um filme péssimo achando que era bom, comenta aqui no post e vamos dividir experiências traumatizantes, hehehe. Até a próxima!

Compartilhe:
Comente:
Post Anterior Próximo Post

Você também pode gostar de:

4 Comentários

  • Responder Juliana Bittar

    Oi Má!!

    Estou conhecendo seu cantinho agora e dou de cara com esse post divertidíssimo!!! Adorei o título!
    O único que eu assisti foi o Lado bom da vida e realmente se tivesse visto esse post antes não teria assistido, já que você me fez esse favor! Agora, eu fiz um favor pra vc tb… Assisti Centopeia Humana! Nunca na sua vida assista esse filme, nem que te implorem, combinado?! hauhauhauh

    Bjinhos
    JuJu
    As Besteiras Que Me Contam

    10 de setembro de 2015 às 01:56
  • Responder Marcela Fabreti de Oliveira

    Noooossa, não acredito que você conseguiu assistir esse filme! :O Não tenho coragem e nem estômago pra ver, ainda bem que você viu por mim, hahaha! Fico feliz por ter gostado do post, beijinhos! 🙂

    10 de setembro de 2015 às 02:27
  • Responder Bruna Sarga

    Mulher, também destetei O Lado Bom da Vida. Pior, eu tinha lido o livro e curtido, quando assisti o filme foi uma super decepção. Até hoje não entendo como fez sucesso. Os outros, bem… Ainda bem que não vi hahahaha

    beijo.

    15 de setembro de 2015 às 03:34
  • Responder Marcela Fabreti de Oliveira

    Hahaha, pior que eu fico mó feliz quando encontro gente que também não gosta dos filmes que eu não gostei. Quando a gente faz esses posts dá o maior medo de aparecer algum fã louco te ameaçando de morte nos comentários 😛

    15 de setembro de 2015 às 03:35
  • Deixe uma Resposta